Construir Relacionamentos Fraternos

0

Diante de cada pessoa que cruza o nosso caminho, podemos construir pontes que nos unem e facilitam o relacionamento.

Acho que o significado da ponte é muito mais profundo do que pensamos. Não permanece apenas na comunicação. Ela é sinônimo de paz, de solidariedade, de amizade.

Quanto mais pontes, menos isolamento. Quanto mais pontes, mais fraternidade.

Ela é o símbolo da reciprocidade. Através dela o amor vai e volta. Nada fica sem retorno.

Se construo uma ponte entre mim e o próximo, mesmo se inicialmente é um trabalho unilateral, deixo aberta a possibilidade da reciprocidade.

Causa de nossa esperança, queridos jovens em todas as suas expressões juvenis presente em nossa Igreja Particular, é o serviço que o Setor Juventude busca prestar a todos vós, como espaço de encontro, compreensão mútua, conhecimento recíproco, diálogo e comunhão.

Queremos apenas construir pontes. Por isto mesmo, o Setor Juventude não é mais um “grupo de jovens” ou uma “outra pastoral”, ao contrário, é verdadeiramente um centro de atração de todos os grupos de jovens, expressões juvenis de espiritualidades, movimentos, associações, que enriquecem nossa Igreja com a pluralidade.

Para realizar tal missão, fazemos uma programação básica, procurando não exceder no número de atividades propostas pelo Setor, tendo a consciência de que é na paróquia e comunidades, que a vida pujante dos jovens acontecem, seja espiritualmente como também comunitariamente.

Muitos não tem compreendido este espírito do Setor, sobretudo quando diz respeito à programação deste ano.
Em nosso calendário, agora no primeiro semestre, parece haver uma sobrecarga de atividades, quando se olha superficialmente. Várias dessas atividades já acontecem pelas paróquias ou é feito pelos grupos de jovens, apenas estamos auxiliando na sensibilização e conhecimento desta atividades.

Porém, convém esclarecer o seguinte:

1. a atividade de participar da Via Sacra Jovem na paróquia, é um incentivo a quê os jovens tomem consciência deste forte tempo espiritual que estamos vivendo, o Tempo da Quaresma, e de uma das suas expressões piedosas mais tradicionais, a oração da Via Sacra. Não é para que se realize uma Via Sacra como aquelas que presenciamos num dos dias das Jornadas Mundiais da Juventude. Apenas que nos inteiremos de onde, quando e que horário acontece normalmente em sua paróquia esta oração, e ir lá participar.

Ademais, há uma estrutura de Via Sacra disponível no site do Setor Juventude, para os jovens que não puderem estar presente no horário determinado por sua paróquia na Via Sacra, possa reza-la em outro momento, tanto em grupo como individualmente. Evidente que é muito melhor rezar em grupo, vocês sabem disso.

2. Mutirão de visita aos asilos com uma data determinada é uma forma de tornar visível a nossa unidade numa atividade comum. É uma ação simples, não requer grandes programações e nem tanto tempo de preparação, para algo que deveria ser corriqueiro entre nós. É um gesto concreto do Tempo Quaresmal, como forma de caridade e exercício penitencial de se converter e cuidar do próximo. Como foi feito no ano passado na Casa de Acolhida da Cáritas Diocesana de forma mais centrada, pensamos em que descentralizando este gesto concreto, muitos mais jovens participariam. Pensamos ser um simples gesto de caridade com o próximo, com as pessoas idosas e, sem necessidade de grandes feitos.

3. Vígilia Jovem, como temos tido dificuldades em organizar e motivar a participação de grande maioria da juventude nas Vigílias que são feitas deste a preparação para a JMJ Rio 2013, e depois como forma de ir alimentando esta dimensão da espiritualidade cristã na juventude, pensamos em somar. Por isso optamos em nos unir à solicitação do Papa Francisco que desde o ano passado, indica uma data para que todas as igrejas no mundo fiquem abertas e dediquem 24 horas para o Senhor. Optamos também em nos unir a esta data, pois a estrutura de vigília já vem indicada pelo Vaticano e cabe a nós, apenas fazer as alterações necessárias ou mais adequadas a nossa realidade. É outra atividade que não vai exigir nada de extraordinário de nós, ou contrário, facilitará o nosso realizar ao menos uma Vigília neste primeiro semestre como Setor Juventude. É evidente que isto não impede que os jovens em seus grupos preparem quantas vigílias estão acostumados a fazer.

O que se pede é que, nesta data, ao menos uma grande representação dos grupos de jovens, expressões espirituais juvenis, movimentos que trabalhem com a juventude, a Pastoral da Juventude, etc, participe desta Vigília que será realizada de toda forma em nossa Catedral do Carmo.

Diante do exposto acima, creio que todos terão entendido o que nos motivou na proposta deste calendário, é muito mais uma vontade, um desejo, um espírito de “estar juntos”; “partilhar de momentos já existentes”, com um espírito de amor fraterno; um “solidarizar-se” com atividades já existentes e que não exigiram nenhum grande sacrifício.

Vamos pois, superar qualquer má vontade, quaisquer fechamentos e nos abrir livremente à ação do Espírito Santo, que nos conduzirá por caminhos e experiências junto a nossos irmãos, que nem ao menos possamos suspeitar.

Para o próximo calendário do ano que vêm, espero a presença de todos os que tem sugestões valiosas para cooperar na reflexão e planejamento do caminhar de nosso Setor Juventude, como um simples serviço e ao mesmo tempo desafiante serviço, de Unidade, de Comunhão de Participação dos jovens na Evangelização da própria juventude.

Uma profunda e transformante caminhada quaresmal a todos vocês, amados jovens.

Pe. Ademir Santos de Oliveira

Sobre o Autor

Para para contribuir com nossos trabalhos nos contate pelo e-mail comunicacao@setorjuventudesa.com.br.

Os comentários estão fechados.

Comente pelo Facebook