Mês da Bíblia

0

No mês de setembro sempre recordamos e celebramos o Mês da Bíblia, por conta da memória de São Jerônimo (30/09), que foi um grande apaixonado pelas Sagradas Escrituras, e encontrou sua felicidade nos estudos e traduções da Bíblia. “Deus é o autor da Sagrada Escritura ao inspirar seus autores humanos; age neles e por meio deles. Fornece assim a garantia de que seus escritos ensinem sem erro a verdade salvífica” (Catecismo da Igreja Católica, §136).

Conhecendo essa verdade, a mesma devia ser nossa atitude de paixão e felicidade diante da Sagrada Escritura. É curioso notar como nos acostumamos à presença da Bíblia em casa, na igreja, em citações de versículos aleatórios na internet, principalmente no facebook, ou mesmo quando “sorteamos” algum versículo para termos uma resposta de algum problema ou situação, aquelas vezes em que abrimos a Bíblia em uma página qualquer e escolhemos um trecho aleatório para nos fazer sentir melhor. Mas é esse valor que a Palavra do próprio Deus tem e merece?

É curioso como acabamos perdendo a noção da dimensão e importância da Bíblia, talvez por ela ser de fácil acesso para nós (o que devia, na verdade, estimular nossa intimidade com Deus), mas nem sempre nos damos conta da preciosidade que temos em mãos: palavras pelas quais o próprio Deus se revela pessoalmente a nós.

Por outro lado, é interessante observar, no vídeo a seguir, alguns irmãos chineses que receberam a catequese católica dentro de sua sociedade e cultura em que, sabemos, o Cristianismo não é tão frequente como no Ocidente.

O vídeo registra a emoção de cristãos chineses ao abrirem a Bíblia pela primeira vez. A cena é comovente, pois vemos a expectativa desses irmãos para conhecer de perto Aquele por quem se apaixonaram aprendendo sobre a doutrina da Igreja. Percebemos a expectativa, ansiedade e a alegria de entrar em contato com a Palavra do próprio Deus.

Eles, como São Jerônimo, nos mostram que valor carrega a Bíblia e nos ensinam como devemos amar a Palavra de Deus.

Lembremos que na China são numerosos os martírios, porque os cristãos vivem em minoria e são perseguidos. Talvez estejamos acostumados demais à presença da Bíblia em nosso cotidiano, mas precisamos recuperar quão valiosa é a Palavra de Deus e quão privilegiados somos por tê-la de maneira tão acessível.

Devemos também apoiar nossa leitura da Bíblia na Doutrina e na Tradição da Igreja, para saber entendê-la devidamente. Trata-se de um ato de responsabilidade e compromisso com Deus, para não fazermos uma interpretação qualquer de Sua Palavra.

Que neste mês, mês da Bíblia, observemos se estamos de fato nos apaixonando pelas Sagradas Escrituras. Rezemos também pela Igreja na China e nos lugares onde ela mais sofre.

“Igreja católica na China, pequeno rebanho presente e ativo na vastidão de um imenso Povo que caminha na história. Como ressoam encorajadoras e provocantes para ti as palavras de Jesus: ‘Não temas, pequenino rebanho, porque aprouve ao vosso Pai dar-vos o Reino’ (Lc 12,32)! Por isso, ‘brilhe a vossa luz diante dos homens, de modo que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem vosso Pai, que está nos Céus’” (Mt5,13.14.16) (Bento XVI).

Por Thiele Piotto.

Sobre o Autor

Os comentários estão fechados.

Comente pelo Facebook