Um coração jovem, para uma Igreja jovem

0

“Em um mundo onde o mal parece triunfar, em que às vezes a esperança parece sufocada (…) fazei-vos próximos uns dos outros, como Cristo Se fez próximo de vós”

São João Paulo II na JMJ em Paris

Queridos jovens é com muita alegria que no último dia 22 a Igreja celebrou a memória litúrgica de nosso amado santo de calça jeans, São João Paulo II. Sua vida, suas escolhas, seu amor é sua santidade, são sem dúvida excelentes referências para a nossa caminhada, para os desafios presentes em nosso meio, nos nossos estudos, estágios, empregos.

A vida de Karol Wojtyla, São João Paulo II, foi uma vida marcada pelos extremos das ideologias e extremos sinais da vida e das guerras. Nasceu e viveu em um período em que a Polônia, era invadida e marcada por guerras, por pensamentos revolucionários, como o nazismo e o comunismo, que até hoje marcam o coração das famílias polonesas. Seu ingresso ao seminário deu-se de modo clandestino, já que a Igreja na Polônia nesse período conturbado foi forçada a fechar os seminários, e muitas ordenações, aos olhos da sociedade também nunca foram presenciadas.

Nosso querido Lolek (diminutivo de Karol) carinhosamente chamado por sua mãe, pai e irmão, era um adolescente extremamente dedicado naquilo que fazia, e de profunda alma piedosa. Amava a arte cênica, e só deixou os palcos quando os estudos formativos tomavam a maioria de seu tempo. Sua vocação presbiteral foi vivida em meio a juventude. Não era difícil de encontrar Padre Wojtyla sempre orientando algum jovem ou acampando com um grupo para discutir problemas presentes nessa etapa da vida. Em todas as conversas, suas falas sempre direcionavam ao amor de Cristo, e o amor a Virgem Maria, como fontes de vencer qualquer desânimo ou dificuldade.

Sua vocação sempre foi marcada por impulsos do Espírito Santo, sua indicação como bispo auxiliar de Cracóvia e posteriormente como arcebispo titular, e até mesmo sua eleição ao pontificado foram sinais da presença do Espírito, que na sua jovem missão se entregou de corpo e alma. Como papa, com o terceiro maior pontificado da história, São João Paulo II guiou a Igreja sempre com profundo ardor e entrega de vida. Foi um jovem senhor, preocupado com a juventude de todo mundo, um belo sinal dessa preocupação são as JMJ´s.

Sem dúvida, sua vida, deve ser sempre manifestação da realização de Deus na humanidade dos homens, e toda essa vivência cristã, que encontramos em São João Paulo II, deve nos inspirar a uma vida com mais amor, mais doação e mais entrega. Que nossa juventude possa sempre apontar ao céu, tendo esse belíssimo modelo como intercessor e amigo nas orações. Que tenhamos um coração sempre jovem, para uma Igreja cada vez mais jovem, mais feliz e mais santa.

Um abraço a todos, e que São João Paulo II olhe sempre por nós junto de Deus.

Jorge Luis, seminarista diocesano.

Sobre o Autor

Os comentários estão fechados.

Comente pelo Facebook